fbpx

Uma guia que é uma mãezona

Uruguaia radicada no Brasil, Mirta Cavalheiro trabalha há oito anos na Mala & Cuia e é conhecida por atender os viajantes como verdadeiros filhos.

Afeto e carinho embarcam sempre na mala de Mirta Fátima Maronesi Cavalheiro, guia acompanhante da Mala & Cuia desde 2011. Uruguaia nascida em Rivera, ela é conhecida pelos viajantes como uma mãezona – justamente porque resolve tudo para eles!

“O trabalho dela é feito com carinho. Ela é muito amiga dos passageiros, tanto que no fim das viagens todo mundo a chama de ‘mami’. Ela resolve tudo e nos trata como filhos”, afirma a aposentada Rejane Bauermann Silveira, que já viajou duas vezes à Europa com o grupo de Mirta.

Embora seja uruguaia, a profissional vive em Porto Alegre há 36 anos e fala português como uma nativa. Ela mora no Brasil desde que recebeu uma proposta de trabalho. Naquela época, trabalhava na parte administrativa de uma agência de viagens, e a oportunidade de ser guia de turismo veio em 2008.

A carreira começou com grandes responsabilidades. O primeiro tour que comandou foi em Porto Alegre, para representantes da ONU que participavam de uma feira na cidade.

“Eu senti um frio espinha, mas foi uma lição muito importante”, recorda Mirta.

O convite para fazer parte da equipe da operadora de viagens Mala & Cuia veio há oito anos. Ela ingressou no time depois de ser indicada por duas amigas, que já trabalhavam na empresa. Para ela, ser guia acompanhante dos viajantes é uma grande responsabilidade, porque as pessoas geralmente estão realizando sonhos.

“O trabalho do guia é muito importante. Somos responsáveis pelas expectativas que os passageiros carregam. Fico emocionada, e quando recebemos um retorno positivo é como se estivesse realizando aquele sonho”, enfatiza Mirta.

Com certeza, viajar em grupo é sempre uma experiência diferente, pois a união dos passageiros torna tudo mais especial e divertido. “Naquele período da viagem formamos uma família e criamos laços que podem durar a vida inteira. Eu acho que viajar em grupo é bem mais seguro e tranquilo”, comenta Mirta.

Mirta tem mais de 30 países no currículo

Com jeito doce e cuidadoso, Mirta está sempre disposta a fazer o melhor para o grupo. Ela já levou passageiros para diversos lugares do mundo e viajar é sua grande paixão. 

“No momento que tu perdes a emoção, já não vale mais a pena. Eu sou apaixonada pela minha profissão, gosto muito de pessoas e mesmo quando algo não sai como planejamento é uma aprendizagem constante”, afirma.

Já visitou cerca de 30 países e ainda almeja conhecer outros destinos, como a Lapônia, terra do Papai Noel. Mesmo com a experiência de quem faz uma média de 9 viagens por ano à Europa e cerca de 30 roteiros pela América Latina, a guia afirma que o friozinho da barriga permanece até hoje.

“Estamos sempre aprendendo, estudando e conhecendo novos lugares. O que não pode faltar em uma viagem é comprometimento, tanto com o antes e depois, e também vestir a camiseta da empresa. Eu amo o que faço e isso é perceptível”, afirma.

Como passageira, a guia conta que uma das viagens mais especiais que fez foi para o Egito, há 14 anos. Conhecer as pirâmides foi inesquecível, pois a trouxe lembranças dos anos escolares no Uruguai e das aulas de história. Como guia de turismo, Mirta revela que a viagem mais marcante foi para Turquia, onde acompanhou um casal com deficiência visual.

“O casal ficou muito grato ao grupo pela recepção e acolhimento que receberam”, diz.

Casada há 35 anos, a guia tem uma netinha de seis anos, que é seu xodó. Além de fazer de tudo para vê-la e acompanhá-la, Mirta reserva tempo para uma outra paixão: a jardinagem. Ela adora cuidar do jardim, onde passa horas como terapia. Pesquisar sobre plantas e ir à floriculturas descobrir novas espécies é um dos seus programas prediletos, quando não está viajando, claro!!

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese