fbpx

Sonho que virou profissão

Fluente em quatro idiomas, a guia Meg é uma aventureira e tem sempre um sorriso no rosto

A guia acompanhante Magda Verônica Santin, 63 anos, nasceu em Porto Alegre, mas se considera uma verdadeira cidadã do mundo. 

Meg, como é conhecida, já percorreu mais de 32 países, boa parte deles com os grupos da Mala & Cuia, e sonha em desbravar outros destinos, fronteiras e culturas. 

Atuando com turismo há mais de 24 anos, a profissional tem muita experiência com grandes grupos e em organizar viagens. Ela é formada como secretária executiva trilíngue e, no início da carreira, tinha como uma das funções fazer reservas em hotéis, pesquisar e resolver as viagens dos chefes. Porém, nunca havia saído do país. A virada na vida ocorreu com a morte do pai.

“Quando meu pai faleceu, eu vi a vida diferente. Não adiantava só trabalhar e ‘ter’. Precisávamos ‘ser’, então resolvi viver mais meus sonhos”, lembra.

Ele era caminhoneiro e os dois sempre viajavam juntos. A perda a fez arriscar tudo e deixar o emprego fixo para viajar pelo mundo. 

A primeira e mais marcante aventura foi em 1994, quando fez a primeira viagem internacional, para a Disney. Na época, ela viajava como turista e viu ali a oportunidade de uma nova carreira. Logo foi convidada para ser guia pela agência Tia Iara Turismo e, em 1995, começou a atuar na área. 

“Depois disso nunca mais parei e hoje sou extremamente apaixonada na minha profissão”, afirma. 

Há cerca de 5 anos, durante do Festival de Turismo de Gramado (Festuris), Meg deu início à parceria com a Mala & Cuia e, desde então, tem participado de muitas viagens como guia acompanhante. 

“Meu mundo só foi aumentando, meus limites também. Fui desbravando e conquistando credibilidade, nome no mercado e fazendo com que as empresas tivessem orgulho de mim”, afirma Meg. 

Fluente em português, inglês, espanhol e francês e compreendendo bem italiano e alemão, a guia se esforça ao máximo para ganhar espaço e confiança dos passageiros. Para ela, entre as alegrias da profissão estão a oportunidade de ver pessoas realizando sonhos e fazer novas amizades. Viajar e explorar lugares é uma emoção sem igual e, para Meg, fazer parte de momentos tão especiais dos passageiros é muito gratificante. 

“Não tem preço maior na vida do que um abraço do passageiro por estar realizado, feliz e, principalmente, protegido com o nosso acompanhamento e apoio”, ressalta. 

Meg é animada, alegre, jovial e está sempre pronta para auxiliar os grupos, independentemente da hora. 

“Sou uma pessoa com alma de criança, que ama ver a alegria nos rostos das pessoas, tenho sorrisos para todos os lugares que vou e para pessoas que me cercam. Nasci cidadã brasileira, mas sou cidadã do mundo e é assim que quero viver para sempre”, afirma Meg. 

A guia se sente muito realizada por ter conhecido muitos cantos do mundo. Meg conta que não há um país específico que deseja visitar, mas todos os destinos desconhecidos para ela, seja como guia ou em uma viagem pessoal. 

Pela Mala & Cuia, durante um ano de trabalho, a guia chega a fazer mais de 10 viagens. Cada excursão é um aprendizado e estudar o destino é fundamental na preparação. Ela busca informações, conversa com guias do destino final e troca informações com outros profissionais que já fizeram o mesmo roteiro. 

“Numa viagem não pode faltar a alegria de conquistar novos horizontes, adquirir conhecimentos, conhecer pessoas. Para quem viaja em grupo é fundamental estar aberto para caminhos e costumes diferentes”, reforça Meg. 

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese